Um bom personagem transcende páginas, telinhas, telas e telões. Ele complementa sua existência na nossa vida.

Seja bem-vinda, seja bem-vindo ao PlotCast Drops!

Eu sou o Alexandre Kirst e, como você já sabe, esse é o mais recente formato aqui do PlotCast. Episódios mais curtos, mais diretos, mais intimistas. Toda sexta-feira o PlotCast Drops estará no seu feed! Aliás, falando nisso, assine o nosso feed. O link está aqui na descrição do programa. Com isso, você pode acompanhar todos os nossos programas. Além disso, você pode nos ouvir no soundcloud.com/plotcast ou diretamente no nosso site, o www.plots.com.br.

Uma coisa legal aqui do Drops é que você pode consumir tanto o áudio quanto o texto. Pra quem já segue a mídia podcast, já faz parte do cotidiano o conteúdo em áudio. Entretanto, muita gente não tem esse costume. Pensando nisso, o PlotCast Drops apresenta o mesmo conteúdo aqui narrado em formato de texto, ali no post no nosso site. Ou seja, o Drops é tanto um podcast quanto um artigo de texto! E no site, além do PlotCast, você encontra textos, vídeos e outros podcasts, como é o caso do Um Pixel Solitário. Acessa lá que sempre tá rolando algo bacana!

Encontre o PlotCast

> ESCUTE NO SOUNDCLOUD

> ESCUTE NO IPHONE/IPAD/ITUNES

> ESCUTE NO ANDROID

> ASSINE O FEED




São os personagens que avançam o enredo, nunca o contrário.

Sabe aqueles livros que fazem você sofrer, torcer e se emocionar com as mudanças de determinada ou determinado protagonista? Sabe aquele filme que apresenta um sujeito peculiar que, de tão caricato, acaba sendo engraçado? Ou então uma série que você ama e faz questão de recomendar aquela jornada para os seus amigos? Hoje é o dia de falar sobre isso. Pois nesse PlotCast Drops falaremos sobre o principal elemento de uma narrativa: os personagens.

Você pode me perguntar: o espaço, o cenário ou a ambientação não são essenciais para uma história? É claro que são! Afinal, nós adoramos a Terra-Média, de Tolkien, o mundo bruxo, de Harry Potter, ou até mesmo a galáxia muito, muito distante, de Star Wars. Além do espaço, nós também adoramos o enredo e a trama dessas histórias, sem dúvidas. A destruição do Um Anel, a batalha contra Você-Sabe-Quem, a redenção do Lord Sith. Adoramos ainda mais cada detalhe e peculiaridade dessas e de outras obras, como batalhas épicas, magias, castelos, sabres de luz e naves espaciais. Entretanto, o que une esses cenários e enredos são os personagens.

Sem Frodo, Gandalf ou Aragorn, a Terra-Média não seria a mesma. Sem Harry, Hermione e Rony, Hogwarts seria muito menos fantástica. Sem Luke, Leia e Han, o cinema não teria evoluído entre as décadas de 70 e 80. O que quero dizer é que espaço e enredo se relacionam intimamente com os personagens. São essas pessoas da ficção que dão vida aos cenários e às tramas. E, o mais importante: as jornadas citadas acima, do Um Anel, do enfrentamento contra Você-Sabe-Quem e da luta pela liberdade galática, são as jornadas dos personagens. São essas pessoas que realizam esses feitos grandiosos. São os personagens que avançam o enredo, nunca o contrário.

Personagens causam identificação.

Uma característica importante dos personagens é a identificação que causam no público. Elfos, orcs, magia, varinhas, Força e Jedi, por exemplo, não são atributos encontrados no nosso mundo. A priori, como espectadores, não nos identificaríamos com tais elementos. Mas um jovem que é convidado a conhecer o mundo e descobre que tem poderes que jamais imaginou já começa a ser um argumento envolvente. Se, logo adiante, descobrirmos que esse jovem encontra amigos, faz inimigos e descobre o seu propósito, podemos nos identificar com ele.

E se, um pouco mais adiante, esse jovem passar por provações intensas e extremas, suas tristezas, alegrias e conquistas não serão só dele. Serão nossas também. Uma vez que seus dramas são reais, os sentimentos aos quais nós, público, somos submetidos se tornam mais profundos e marcantes. Com isso, o personagem e, por consequência, seus dilemas, objetivos e vitórias, tem uma vida além da obra de ficção.

Personagens planos e redondos.

Um dos primeiros teóricos a encarar o personagem como um elemento fundamental da narrativa foi o britânico Edward Morgan Forster. Em 1927 ele publicou o livro Aspectos do romance. Nele, Forster apresenta uma classificação para os personagens que ainda hoje segue sendo muito reconhecida. Para ele, as pessoas da ficção podem ser classificadas entre planas e redondas.

Os personagens planos são aqueles que não evoluem ao longo da narrativa. Permanecem os mesmos. Enquanto os demais personagens mudam e se transformam, os planos seguem como um ponto conhecido do público. Forster escreve que eles podem ser definidos com poucas palavras.

Em contrapartida, os personagens redondos são complexos, convincentes, verossímeis. Estão em constante evolução na história. Dessa forma, eles nos surpreendem. São capazes daquelas atitudes que nos deixam chocados, de boca aberta, sabe? Nos emocionam. São eles que odiamos. São por eles que nos apaixonamos. Forster escreve que os personagens redondos estão prontos para viver fora da narrativa.

Considerações finais.

Por vezes, valorizamos mais as pessoas da ficção do que as que cruzam nossos caminhos na vida real. Você já parou pra pensar nisso? Quanto já nos emocionamos com amigos, inimigos, protagonistas e vilões ficcionais e, em situações muito semelhantes na vida real, talvez não tivemos a mesma comoção? Sobre isso, tenho um palpite. Um bom personagem transcende páginas, telinhas, telas e telões. Ele complementa sua existência na nossa vida.

Muito obrigado a você que me acompanhou no PlotCast Drops! Caso você não saiba, além de gerenciar o Plots eu também sou escritor e publiquei meu primeiro livro recentemente. Chama-se “Cronolapso, o apocalipse do tempo”. Se quer saber mais sobre o Cronolapso, e, porque não, sobre os personagens de Cronolapso, basta acessar o site oficial do livro www.cronolapso.com.br.

E claro, também temos as redes sociais do Plots. Curta em fb.com/siteplots e siga-nos no Instagram @plotcast. Assine o nosso feed no seu aplicativo de podcast. Nos classifique no iTunes, isso ajuda muito a atingirmos um público maior. Também compartilhe os programas com os seus amigos e deixe as suas impressões aqui nos comentários. Dito isso, reitero que todo o nosso conteúdo sempre se encontra em plots.com.br. Acessa lá!

E você ainda pode nos ajudar no Padrim! Acesse padrim.com.br/plots e veja as recompensas. Certo? Eu, Alexandre Kirst, fico por aqui. Muito obrigado pela sua audiência e sexta que vem estarei de volta no PlotCast Drops!

TEXTO, NARRAÇÃO E EDIÇÃO: Alexandre Kirst

TRILHA SONORA: Ross Bugden – Revelation (licensed under a ‘Creative Commons Attribution 4.0 International License) – www.youtube.com/channel/UCQKGLOK2FqmVgVwYferltKQ

Nossas redes sociais

> Página no Facebook

> Canal no Youtube

> PlotCast no Soundcloud

> Feed no iTunes

Alexandre Kirst
Alexandre Kirst
Um publicitário apaixonado pela intensidade das palavras.